Gestão em Tempo Real - Real Time Management (RTM)

Você já participou das famosas reuniões do dia seguinte, onde os gestores apresentam os resultados ocorridos no dia anterior, analisam os desvios ocorridos e determinam ações necessárias para resolver os problemas já ocorridos

 

Por incrível que pareça, esse tipo de gestão ainda ocorre em muitas empresas nos dias de hoje. O grande problema com essa maneira de gerenciar é que o efeito indesejado dos problemas, que são as perdas causadas, já ocorreu, e esse tipo de gestão, quando muito bem sucedido, será capaz apenas de evitar que os mesmos problemas voltem a ocorrer. Por isso é denominada de gestão passiva.

 

Aí, alguém pode dizer: "Mas, isso é melhor do que nada !" Com certeza, gerenciar o passado é melhor do que não gerenciar nada, mas esse tipo de pensamento não tem lugar em Empresas que querem ser a melhor no que fazem.

Os modelos modernos de gestão partem do princípio que devemos gerenciar os processos que garantem os resultados esperados pela empresa. Dessa forma, quando ocorrer qualquer desvio da condição ideal, com potencial de gerar perdas, o gestor deve ser capaz de perceber esse desvio imediatamente, e atuar na sua correção para prevenir a ocorrência de falhas e suas consequentes perdas. E é justamente aí que entra a RTM.

No TPM, o controle da execução das rotinas e a gestão dos indicadores de desempenho deve ser feita em tempo real. A ocorrência de desvios em parâmetros críticos de processo deve ser percebida tão logo ocorra a caracterização de um desvio.

Você já mediu o quanto a sua Empresa gasta para realizar a comunicação necessária para a realização do trabalho? Se for fazer isso, tente também medir as perdas causadas por problemas de comunicação.